29 Jun 2017 Este site foi atualizado a 20 Apr 2017

História

O CIPA teve início em março de 2005, no âmbito do Projeto Violeta (Interreg III B).

Em outubro de 2006, o CIPA-Novo Dia celebrou um Acordo de Cooperação com o Instituto de Ação Social. Os objetivos foram definidos no sentido de desenvolver um conjunto de políticas sociais tendo como objetivos específicos:

  • Preservar, organizar, divulgar e disponibilizar aos/às utilizadores/as informação e documentação relativa à temática da Igualdade de Género e Oportunidades;
  • Disponibilizar esclarecimentos e aconselhamento jurídico, gratuito, no âmbito da Igualdade de Género e de Oportunidades;
  • Elaborar propostas como medidas de combate à discriminação e às desigualdades de género;
  • Promover ações/sessões de sensibilização sobre da Igualdade de Género e de Oportunidades para crianças e jovens das escolas primárias, básicas, secundárias e profissionais, bem como junto dos públicos socialmente excluídos;
  • Organizar e realizar ações/cursos de formação para profissionais da Administração Pública Regional, Entidades Privadas e Comunidade em geral promovendo políticas de igualdade de género e de oportunidades;
  • Organizar, elaborar e publicar um boletim trimestral “Newsletter” para divulgar as atividades promovidas pela associação, bem como, para discussão de temáticas pertinentes da atualidade.

Em 2007/2008, enquadrado no Projeto CLDS - Contratos locais de Desenvolvimento Social, o CIPA alarga o âmbito da sua intervenção:

  • Atua junto das escolas e lares sensibilizando jovens e o público em geral para as questões de igualdade de género e de oportunidades;
  • Promove ações de informação a jovens do 1º ciclo e pessoal docente no espaço CIPA, proporcionando simultaneamente a animação da biblioteca/centro de documentação.

Durante o ano de 2009, o C.I.P.A. estabelece um conjunto de ações que visam a continuidade da sua missão, passando a ser, mais tarde, financiado pela Direção Regional de Igualdade de Oportunidades (DRIO).

No ano de 2010, o CIPA alarga o âmbito de atuação para a problemática das múltiplas razões e formas de discriminação. São desenvolvidas metodologias tendo em conta os novos mecanismos de prevenção e intervenção sobre todas as formas e razões de discriminação em função do género, etnia, religião, deficiência, idade e orientação sexual.

Já em 2013, o CIPA passa a colaborar com a Direção Regional da Solidariedade Social na criação e avaliação de políticas públicas de prevenção e combate à violência doméstica e de género. É também neste ano que tem início a campanha de prevenção e combate às múltiplas razões e formas de discriminação: Antes de me discriminares, conhece-me!